Com o tempo, a presença feminina no agro vem crescendo cada vez mais — o que, aliás, podemos considerar uma mudança bem positiva para o setor, visto que esse é um espaço que — desde sempre — foi dominado por homens.

Aqui no Brasil, por exemplo, as mulheres têm cerca de 30% da força de trabalho no agronegócio, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Aumento esse que nos mostra um avanço no meio rural e na luta contra a desigualdade de gênero.

Pensando nesses pontos, preparamos este artigo para destacar as mulheres presentes no agro. Separamos algumas figuras inspiradoras que merecem visibilidade. Continue a sua leitura e acompanhe!

Qual a importância das mulheres no meio rural?

As mulheres representam aproximadamente 43% da força de trabalho agrícola*. Neste cenário, elas são responsáveis por diferentes atividades, desde a produção de alimentos até a gestão de pequenas propriedades rurais.

*Importante: o número fornecido no conteúdo foi retirado por uma pesquisa feita pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO). Os dados são referentes apenas aos países em fase de desenvolvimento, como o Brasil.

Ainda, a presença feminina acrescenta novos olhares em relação à gestão de recursos naturais e aos desenvolvimento de inovação tecnológica. São mentes criativas pensando no campo e para o bem do campo. Prova disso é o estudo da Embrapa, o qual revela que propriedades lideradas por mulheres tendem a adotar práticas mais sustentáveis e eficientes.

E devemos lembrar que: esses pontos são positivos em diferentes tipos de pecuárias e culturas, pois melhoram a qualidade de vida dos moradores rurais, bem como contribuem para a segurança alimentar global.

3 lideranças femininas no mundo da agropecuária para se inspirar

Neste conteúdo, não poderíamos deixar de destacar alguns nomes de prestígio quando pensamos em lideranças femininas. Atualmente, o prêmio “Mulheres do Agro” destaca algumas figuras e dá o reconhecimento que elas merecem. Dentre elas, estão:

  1. Ana Maria Primavesi: reconhecida pela sua contribuição na agroecologia e na preservação do solo;
  2. Tânia Zanella: engenheira agrônoma que lidera projetos de sustentabilidade em grandes propriedades rurais;
  3. Neiva Senna: fundadora de uma cooperativa agrícola que empodera mulheres e promove práticas agrícolas sustentáveis.

Quais são os desafios encontrados pelas mulheres no agro?

Mesmo com os avanços significativos, infelizmente, as mulheres no agronegócio ainda enfrentam uma série de desafios. Dentre eles, a discriminação de gênero, a falta de acesso a recursos e a representação desigual são alguns dos principais obstáculos.

mulher em uma estufa com a plantação

Além disso, há casos em que as mulheres têm acesso limitado a crédito, tecnologia e treinamento — o que pode dificultar o desenvolvimento e a execução de suas atividades agrícolas.

Além disso, a carga dupla de trabalho, que inclui responsabilidades domésticas e rurais, é um desafio constante. Estudos mostram que as mulheres dedicam em média 13 horas a mais por semana a trabalhos não remunerados (incluindo atividades domésticas, cuidados com a família e afins) em comparação aos homens.

Essa desigualdade de carga de trabalho pode afetar negativamente a produtividade e o bem-estar das pessoas que trabalham no campo.

+ Agricultura 4.0: conceito, características e objetivos.

Estratégias para superar os desafios

Para enfrentar os desafios mencionados, separamos algumas estratégias que podem ser adotadas:

  • Os programas específicos de financiamento e microcrédito para mulheres podem facilitar o acesso a recursos financeiros;
  • Investir em treinamentos e capacitação técnica para mulheres no campo pode aumentar sua eficiência e produtividade;
  • A implementação de políticas públicas que promovam a igualdade de gênero e apoiem as mulheres no agronegócio.

Você pode se interessar por: Quais as influências do clima na agricultura? Entenda.

Vantagens do avanço da mulher no agronegócio

O avanço das mulheres no agro traz vantagens tanto para o setor quanto para a sociedade como um todo. A presença feminina promove a diversidade e a inovação. Dessa forma, apresenta soluções mais criativas e eficientes para os desafios agrícolas.

Além disso, a presença feminina no agronegócio contribui para a melhoria da qualidade de vida nas áreas rurais. Afinal, as mulheres são mais propensas a reinvestir seus ganhos em suas famílias e comunidades, promovendo a educação, a saúde e o bem-estar geral. Isso gera um ciclo virtuoso de desenvolvimento que beneficia a todos.

O futuro das mulheres no agro

O futuro das mulheres no meio rural mostra tendências promissoras, voltadas para a inovação tecnológica e aos movimentos sociais do nosso país. Afinal, o protagonismo feminino vem contribuindo cada vez mais com o crescimento sustentável e equitativo do setor.

A Agroline apoia todos aqueles que querem viver de uma vida no campo. Oferecemos os recursos e as soluções necessárias para o desenvolvimento das suas criações. Então, mulheres, saibam que estamos com vocês!

Continue acompanhando o nosso blog e conheça outros conteúdos nossos.

Aproveite e leia também: Compost Barn: tire todas as suas dúvidas sobre o sistema!

mulher subindo no trator

Referências

  1. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). “Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua – PNAD Contínua“. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/trabalho/9171-pesquisa-nacional-por-amostra-de-domicilios-continua-mensal.html.
  2. Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO). “The State of Food and Agriculture 2010-11: Women in Agriculture – Closing the gender gap for development“.
  3. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). “Mulheres no Agro: Sustentabilidade e Inovação“. Disponível em: https://www.embrapa.br/busca-de-noticias/-/noticia/50779965/mapa-embrapa-e-ibge-apresentam-os-dados-sobre-mulheres-rurais