Causando prejuízos não apenas à saúde dos bovinos, equinos, ovinos, caprinos e demais espécies atingidas, a febre aftosa provém de um vírus capaz de comprometer significativamente o rendimento da produção de artigos de origem animal no mercado nacional e internacional.

Por isso, o Ministério da Cultura, Pecuária e Abastecimento trabalha em programas e métodos para enfrentar a doença, na chamada Campanha de Erradicação da Febre Aftosa. No entanto, para que o projeto tenha realmente força e cause efeitos perceptíveis no mercado, faz-se necessário o envolvimento de todos os setores da cadeia produtiva, incluindo os produtores, técnicos, companhias responsáveis pela produção de vacinas e empresas de comércio de vacinas e insumos.

Para tanto, este grande público deve estar ciente da importância da prevenção da doença não apenas para seus animais, mas também para sua própria saúde. Dessa forma, é importante considerar que a vacinação tem papel fundamental na erradicação da febre aftosa, podendo ainda promover um reconhecimento internacional do rebanho sem aftosa, capaz de auxiliar no comércio de produtos de origem animal.

Isso porque a existência de focos de aftosa em qualquer ponto nos rebanhos do país pode prejudicar bastante ou mesmo impedir a conquista de novos mercados e manutenção dos que já dependem dos serviços nacionais do setor de agropecuária.

A erradicação da doença, contudo, não depende apenas da vacinação para ter sucesso. Medidas de segurança como não expor o rebanho em leilões com aglomeração de bezerros ou adultos, vendas de sêmen ou embriões e controle da condição sanitária em casos de alagamento temporário das pastagens podem prevenir o surgimento da doença.

Assim, recorrendo a métodos corretos e à precaução necessária para a saúde dos animais e à segurança dos produtos fabricados, a febre aftosa deixa de ser uma preocupação na vida daqueles que dependem dos serviços agropecuários para viver.

A fim de ilustrar melhor a explicação acima dada, a seguir apresentamos um vídeo esclarecedor sobre a segurança na produção pecuária. Confira!