Os estados do Rio Grande do Norte e Paraíba foram incluídos no Inquérito Soroepidemiológico realizado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Com o objetivo de analisar quais regiões podem ser consideradas livres da febre aftosa com vacinação, o inquérito já está em andamento no Norte e Nordeste do país e visa rever a situação dos dois estados – classificados como zonas de risco médio para a doença.

A inclusão das regiões se deve graças a uma Instrução Normativa Ministerial assinada pelo ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro, com o apoio da governadora do Rio Grande do Norte, Rosalba Ciarlini, do vice-governador da Paraíba, Rômulo Gouveia e do deputado federal Henrique Eduardo Alves.

A expectativa é que a reclassificação do RN e PB, se confirmada, seja divulgada em 2013, o que garante mais tranquilidade e segurança para os produtores rurais dos estados. Segundo o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Rio Grande do Norte (FAERN), José Álvares Vieira, a mudança trará benefícios para o comércio na região, fazendo com que a economia rural do local ganhe novo fôlego.

Foto: Flickr.

A inclusão do RN e PB no Inquérito Soroepidemiológico do Mapa faz com que os estados entrem em uma área especial de análise. Sendo assim, conforme apontado por Vieira, as barreiras que restringiam o trânsito de animais e produtos agropecuários para outros estados do país deve ser suspensa.

O Inquérito Soroepidemiológico também acontece em outras regiões, incluindo terras estrangeiras. Um exemplo é o país vizinho, Paraguai, onde os técnicos do Mapa realizarão estudos até o dia 3 de novembro.

A ação é uma iniciativa do Comitê Veterinário Permanente do Cone Sul (CVP) e do Centro Panamericano de Febre Aftosa (Panaftosa) e, ao lado das autoridades oficiais do Paraguai, irá avaliar a existência de circulação do vírus da febre aftosa no país.

A intenção é, portanto, devolver ao Paraguai o status de país livre de febre aftosa com vacinação, suspenso devido à ocorrência da doença no Departamento de San Pedro.