A doença que assusta produtores de gado em todo o país, o botulismo, pode dizimar rebanhos inteiros. Grandes e pequenos fazendeiros estão preocupados com a saúde de seus animais. Recentemente um caso em Ribas do Rio Pardo, no Mato Grosso do Sul, fez com que todos se alertasse para este problema.

O que é o Botulismo?

O botulismo é uma doença bacteriana, uma intoxicação alimentar causada pelo Clostridium Botulinum. Nos animais, acontece principalmente através dos tipos C e D e pode afetar bovinos, ovinos, equinos, aves, caninos. É uma fatalidade rara, mas com consequências gravíssimas.

Sintomas

Entre os sintomas da doença, o principal é a hipotonia muscular. O gado fica com paralisia, os animais apresentam falta de coordenação, perda de peso e estresse. A paralisia é progressiva e começa pelos membros anteriores, pescoço e cabeça. O estado é fatal e a morte dos animais pode acontecer de três a sete dias. Quando acontece em casos agudos, o falecimento acontece em até dois dias causado pela parada dos músculos do sistema respiratório.

Causas

A doença é comumente relacionada à falta de fósforo na pastagem e a má suplementação mineral. Quando essas condições fazem com que um animal morra, sua carcaça se torna um ambiente propício para a bactéria se proliferar e produzir toxinas que contaminam a água, o solo e os alimentos. Um animal que consumir os tecidos da carcaça encontrados no pasto ou a água contaminada adquire a doença. O botulismo se dá através  da absorção da toxina no intestino que chega até a corrente sanguínea.

Nos animais em confinamento a contaminação pode acontecer através da água ou de alimentação em más condições de conservação. A silagem, feno ou ração pode conter matéria orgânica em decomposição que é uma condição para a proliferação da bactéria.

Prevenção

O primeiro passo para prevenir o botulismo é manter a suplementação alimentar adequadamente. Deve ser realizada a correção de nível de fósforo das pastagens e  a suplementação mineral correta. O rebanho deve sempre ser vacinado para prevenção dessa e de outras doenças.

Outro fator importante para a prevenção é o devido tratamento para os animais mortos, para que suas carcaças não fiquem expostas. É necessário melhorar as condições do ambiente onde os animais estão, mantendo sempre a pastagem e a água limpas. As rações dos animais de confinamento devem ficar armazenadas em locais adequados, longe de possíveis fontes de contaminação.

Consequências

É importante lembrar que o botulismo bovino é diferente da doença que afeta os humanos. As consequências, porém, são econômicas, já que a morte dos animais causa um grande prejuízo aos produtores e à economia agropecuária.

Caso

O último caso registrado que veio à público aconteceu em Ribas do Rio Pardo, entre os dias 2 e 4 de Agosto. Foram mais de mil animais mortos em um confinamento. No dia 11 de Agosto foi confirmado pela Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal de Mato Grosso do Sul (Iagro) que o caso se tratava realmente de botulismo.

Foram feitos exames em amostras da selagem que o gado recebia e foram encontradas as toxinas botulínicas tipo C e D.

Entre em contato através de nosso atendimento e iremos informar qual a melhor suplementação para seu rebanho.